Solu??es Roche de alto valor médico transformam o cenário das doen?as cardíacas


Diabetes e Colesterol elevado s?o os grandes responsáveis por problemas no cora??o



As doenc?as cardiovasculares (DCV) sa?o as principais causas de morte no mundo, de acordo com a Organizac?a?o Mundial de Sau?de (OMS)1. As disfunc?o?es ainda sa?o responsa?veis pela baixa qualidade de vida de grande parte da populac?a?o e uma enorme carga de hospitalizac?o?es. Por outro lado, avanc?os tecnolo?gicos esta?o proporcionando novas perspectivas para me?dicos e pacientes.

?

Na Roche Diagno?stica sabemos que cada minuto importa e por isso, acreditamos na colaborac?a?o entre os diversos stakeholders da sau?de para mudar esse cena?rio, ja? que reconhecer condic?o?es cardi?acas com agilidade e precisa?o e? indispensa?vel para salvar vidas e permitir um sistema de sau?de sustenta?vel.

?

Um diagno?stico a?gil exige testes que detectem a liberac?a?o precoce de Troponina, permitindo que as deciso?es cli?nicas sejam definidas com confianc?a e que os profissionais de sau?de gerenciem de maneira adequada os recursos hospitalares.

?

Soluc?o?es diagno?sticas Roche

Nossos testes apresentam benefi?cios significativos na obtenc?a?o de resultados e ajudam o paciente a comec?ar o tratamento rapidamente. Sa?o soluc?o?es para os desafios dia?rios e proporcionam eficie?ncia no fluxo do trabalho permitindo intervenc?o?es terape?uticas precoces, ale?m do monitoramento regular que ajuda na reduc?a?o das complicac?o?es nas doenc?as cardiovasculares que, por ano, levam a o?bito cerca de 17,9 milho?es de pessoas no mundo1.

?

Einstein e? o primeiro hospital no Brasil a usar a Troponina de Alta Sensibilidade

O Hospital Albert Einstein foi o primeiro no Brasil a implementar a Troponina de Alta Sensibilidade (TnT-hs) com o algoritmo de 0/1h. A importa?ncia desses algoritmos e? a seguranc?a na exclusa?o do Infarto Agudo do Mioca?rdio (IAM) e a confirmac?a?o do diagno?stico de pacientes com IAM2.

?

De acordo com o Dr. Carlos Eduardo dos Santos Ferreira, Gerente Me?dico de Patologia Cli?nica do Hospital Israelita Albert Einstein, esse processo de mudanc?a de protocolo auxilia diretamente no diagno?stico precoce ou na alta do paciente. “No?s precisa?vamos de um teste mais sensi?vel para estruturar o protocolo de forma custo efetiva e enta?o optamos pela utilizac?a?o da Troponina de Alta Sensibilidade”, completou.

?

Dados alarmantes

O IAM e? causado pela interrupc?a?o do fluxo sangui?neo para o mu?sculo cardi?aco, causando a morte das ce?lulas cardi?acas. O diagno?stico ra?pido e preciso e? essencial quando pacientes chegam com dor tora?cica aguda de IAM no Pronto Socorro2. A cada 30 minutos de atraso entre os sintomas e o ini?cio do tratamento, aumenta em 7,5% a possibilidade de morte em um ano3.

?

Com o me?todo convencional, o tempo de diagno?stico para IAM podia variar de 6 a 9 horas para ser realizado, postergando a decisa?o cli?nica4. A Troponina de Alta Sensibilidade (TnT-hs) com o algoritmo de 0/1h e? capaz de realizar um diagno?stico ra?pido e seguro em 1 hora de observac?a?o5,6.

?

O que nos move na Roche e? assegurar que pessoas vivam mais e melhor, por isso, investimos em biomarcadores cardi?acos com alto valor cli?nico para suportar a tomada de decisa?o me?dica em situac?o?es cri?ticas como o Infarto Agudo do Mioca?rdio (IAM).

?

Ale?m da (TnT-hs) tambe?m fornecemos ao Einstein a Troponina Point of Care, que e? correlata a 98% com a (TnT-hs)7 e garante os resultados padronizados para o Protocolo de Dor Tora?cica.

?

Para no?s, vidas sa?o muito importantes!

?

Roche Diagno?stica Brasil Ltda. Atendimento ao Cliente: 0800 77 20 295 www.paalleycats.com Av. Engenheiro Billings, 1729, pre?dio 38 Sa?o Paulo – Brasil ? 2019 Roche

Todas as marcas mencionadas possuem protec?a?o juri?dica

MC-BR-00718 Novembro/2019

Todos os reagentes comercializados no Brasil esta?o devidamente registrados, para obter a relac?a?o dos nu?meros de registro ligue para 0800 77 20 295

?

  1. WHO/OMS Cardiovascular Diseases Factsheet Disponi?vel em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/cardiovascular-diseases-(cvds) Acesso em 29/11/2018
  2. Thygesen K, et al Fourth universal definition of myocardial infarction (2018) European Heart Journal, Volume 40, Issue 3, 14 January 2019, Pages 237–269, https://doi.org/10.1093/eurheartj/ehy462
  3. Fonarow, W. et al., Day of admission and clinical outcomes for patients hospitalized for heart failure: findings from the Organized Program to Initiate Lifesaving Treatment in Hospitalized Patients with Heart Failure (OPTIMIZEHF). Circ Heart Fail. 2008; 1:50-57
  4. Nicolau JC, Timerman A, Marin-Neto JA, Piegas LS, Barbosa CJDG, Franci A, Sociedade Brasileira de Cardiologia. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre Angina Insta?vel e Infarto Agudo do Mioca?rdio sem Supradesni?vel do Segmento ST. Arq Bras Cardiol 2014; 102(3Supl.1):1-61
  5. Amsterdam et al 2014 AHA/ACC NSTE-ACS Guideline Circulation. 2014;130:e344-e426.
  6. Roffi et al European Heart Journal (2016) 37, 267–315 doi:10.1093/eurheartj/ehv320
  7. Jungbauer C., et al. (2017) Clin. Lab. 2017; 63:xx-xx. Disponi?vel em: https://www.clin-lab-publications.com/article/2427 2