Inova??o e acesso: os desafios da Medicina Personalizada

A Roche Farma Brasil e a Tv Saúde firmam parceria para refor?ar a importancia de que abordagem seja cada vez mais acessível

?

Para explicar um pouco mais sobre o conceito que visa tratar a saúde de maneira personalizada e levar informa??o de qualidade à sociedade, a Roche Farma Brasil e a Tv Saúde participaram de um debate promovido pelo Fórum Oncoguia. O encontro aconteceu no dia 16 de abril, em Brasília, e reuniu profissionais da área para debater sobre os novos caminhos que facilitam a chegada da inova??o e os avan?os da medicina, cada vez mais presentes no Brasil. Uma das temáticas abordadas no evento foi a medicina personalizada, que segundo Rodrigo Guindalini, coordenador de oncologia do Hospital Português, na Bahia, “é a tentativa de usar características do paciente, principalmente genéticas, e características do?cancer.? Você combina informa??es da pessoa, que s?o únicas, com outras informa??es do tumor daquele paciente para encontrar a melhor solu??o para ele”.

Em entrevista, a oncologista do Hospital Sírio Libanês, Marcela Crosara, ressaltou a importancia dos pacientes em buscarem o melhor atendimento possível. De acordo com a médica, as pessoas est?o chegando ao consultório cada vez mais empoderadas e com acesso à informa??es sobre conceitos que envolvem a medicina personalizada, o que é algo muito positivo.

Falaram também, o especialista em value strategy Nelson Teich que abordou os novos modelos de reembolso e impacto da inova??o em tomadas de decis?o; e Lucina Holtz, presidente, fundadora do Instituo Oncoguia e anfitri? do evento, que apresentou um resumo do encontro e sua vis?o perante os avan?os clínicos e a sustentabilidade do sistema.

Discutir o acesso ao tratamento personalizado é o caminho para o futuro, uma vez que o ?progresso da ciência e o desenvolvimento de tecnologias abrem uma nova gama de possibilidades para levar uma melhor qualidade de vida aos pacientes. Para a Roche, ampliar solu??es em saúde para a sociedade, é melhorar o "amanh?" no campo de doen?as mais graves, como o cancer.

Confira o vídeo aqui.